fbpx Skip to main content
Blog

Seu filho tem alergia? Veja os sintomas da dermatite atópica!

By março 22, 2022abril 18th, 2022No Comments

Você já ouviu falar sobre as atopias? Bem, o nome pode até ser diferente, então, vamos chamar de hipersensibilidade. Continua sem saber? De maneira geral são as famosas alergias, representada, hoje, pela dermatite atópica.

Antes de tudo, alertamos que não é o único tipo de atopia frequente nos pequenos. Asma, rinite, conjuntivite… tudo isso pode estar associado! Porém, a dermatite acomete justamente a pele, o que pode prejudicar a qualidade de vida do baby.

Agora, um ponto importante: ela não atinge apenas os pequenos. Quem apresenta a condição, tende a ter pelo resto da vida, com momentos de pico e outros de remissão. Saiba mais! 

Entenda o que é dermatite atópica

A dermatite atópica é uma condição crônica e está relacionada com fatores hereditários. Por ser crônica, podemos inferir que ela não tem cura, mas já vamos adiantar que o grande objetivo é amenizá-la e controlá-la. 

Frequentemente, por ter o componente hereditário, não é incomum encontrar casos de atopia na família, como rinite em algum dos pais. Entretanto, não se preocupe: embora dê lesões na pele, não é contagiosa!

Mas, o que causa isso tudo? Olha, isso ainda não é bem determinado. Na verdade, sabe-se apenas que algumas situações podem desencadear o quadro agudo, como:

  • pelos de animais;
  • excesso de poeira no ambiente;
  • mudança climática;
  • momentos estressantes.

Além disso, outro detalhe importante da dermatite atópica está relacionado com a pele em si. Porque os indivíduos portadores da condição apresentam a pele com a camada de proteção comprometida.

Ao passo que isso aumenta a susceptibilidade para penetração de substâncias, como aquelas listadas acima. Consequentemente, vai causar uma inflamação local na pele e provocar as lesões características acompanhadas de coceira.

O próprio ato de coçar vai diminuir ainda mais a proteção e aumentar a porta de entrada para as substâncias irritativas. Viu só como se torna um ciclo vicioso?

Veja quais são os sintomas dermatite atópica

Do ponto de vista técnico, a dermatite apresenta como lesão elementar o chamado eczema. Mais um nome esquisito para retratar algo simples de identificar: uma região mais seca, descamativa, avermelhada e que coça bastante.

Essa é a lesão elementar, ou seja, descreve a dermatite. Aqui, é desencadeada pela hipersensibilidade a fatores específicos, como já vimos acima. Porém, nunca é demais reforçar algumas outras situações desencadeantes, como:

  • contato com substâncias perfumadas;
  • banhos demorados em água quente;
  • poluição ambiental;
  • roupas sintéticas e de lã.

Constantemente, outra característica marcante é a localização das lesões: na maioria das vezes, encontram-se de áreas de dobras. Portanto, não é raro que apareçam em joelhos, cotovelos e até no pescocinho.

Por outro lado, nos babies, principalmente até os 2 anos de idade, as lesões também tendem a acometer o rostinho. Vale ressaltar que essa é uma característica geral, mas que pode variar ao longo do tempo.

Acima de tudo, não se esqueça que é uma condição crônica, de modo que o avançar dos anos pode resultar em áreas mais escuras e grossas. Por esse motivo, o grande cuidado deve ser com o controle da condição a fim de melhorar a qualidade de vida.

Descubra se há tratamento para a dermatite atópica

Em síntese, a dermatite atópica não tem cura, mas pode ter controle! Nessa perspectiva, já vamos adiantar e reforçar que é o médico especialista quem dita os melhores cuidados.

De modo geral, as pomadas de corticoide são recursos muito eficazes em controlar as lesões… por tempo determinado! Nos dias seguintes, após a remissão, existe um grande risco de acontecer o chamado efeito rebote.

Nestes casos, as lesões retornam de maneira mais acentuada e mais intensa, o que pode ser um “tiro pela culatra”. Portanto, uma dica de ouro é identificar quais os fatores que desencadeiam a dermatite e combater eles, não a lesão.

Ao contrário do que muitos pensam, há riscos em usar pomadas de forma indiscriminada, saiba que os corticoides podem provocar efeitos colaterais nos babies. Portanto, caso sejam prescritas, siga cuidadosamente as orientações médicas.

Acima de tudo, existem medicamentos orais para diminuir a hipersensibilidade. Porém, o uso também deve ser limitado para os casos que há, de fato, indicação. Nada de medicar seu filho com o que vê na internet, combinado?

Enfim, a medida que mais vai fazer diferença se chama: hidratação! A partir do momento que a pele está bem hidratada, suas camadas ficam mais íntegras e mais protegidas contra a entrada de alérgenos.

Portanto, se a criança apresentar febre e as lesões mudarem o padrão, corra para um médico a fim de avaliar possíveis infecções secundárias!

Conheça algumas maneiras de prevenção

Nesse meio tempo, se a dermatite atópica precisa de controle e as medicações apresentam uso limitado, o olhar deve se voltar para medidas de prevenção. De cara, uma dica valiosa: identifique aquilo que predispõe o surgimento das lesões!

A partir daí, é possível afastar seu filho do contato com tais alérgenos e diminuir drasticamente as crises. Porém, caso não seja possível detectar, existem cuidados gerais para se tomar.

Em primeiro lugar, cuide das vestimentas. Então, priorize roupinhas de algodão ou tecidos macios, que não sejam muito apertadas nem compostas por fibras mais ásperas. Procure manter o baby fresquinho, livre de suor.

Mas cuidado com o banho! Ele não deve contar com água quente, apenas morna. Além disso, o sabonete deve ser suave e, caso você queira dar mais de um banho por dia, use produtos em apenas um deles.

Quando finalizar, seque a pele dos pequenos com uma toalha macia e sem esfregar! E não se esqueça: hidratação — preferencialmente, em até 3 minutos após o banho.

Redobre a atenção quando os dias passarem por variações climáticas e, se o tempo estiver frio e seco, utilize um umidificador. Tapetes, cortinas, pelos de animais, cosméticos, perfumes… tudo isso é interessante para evitar o contato!

De modo geral, é isso que os pais precisam saber sobre dermatite atópica. Reforçamos, novamente, a importância de identificar os fatores predisponentes e, claro, manter acompanhamento médico.

Por vezes, pode ser necessário avaliar outras condições de atopias, como conjuntivite e problemas respiratórios. No mais, prevenção e acompanhamento nunca é demais!

Gostou do conteúdo? Siga nossas redes sociais e fique por dentro da saúde do baby! Estamos no Facebook, Instagram e YouTube!

Referências

Dermatite atópica. Biblioteca Virtual em Saúde.Dermatite atópica: que doença é esta? Sociedade Brasileira de Pediatria.
Dermatite atópica. Drauzio Varella.