fbpx Skip to main content
Blog

Doces para Bebês: até quando evitar ou quando oferecer

By julho 23, 2021setembro 20th, 2021No Comments

Para os pais, de forma geral, o consumo do açúcar pelos pequenos representa dúvida comum. Afinal de contas, quando podemos dar doces para bebês? O Ministério da Saúde em 2019 liberou edição nova do Guia Alimentar para Crianças Abaixo dos 2 anos.

Esse documento tem como intuito o combate das taxas de obesidade na infância, e nele, a entidade se mostrou mais enfática na pauta que o açúcar não deve ser dado aos pequenos em seus primeiros anos de vida.

A maior preocupação é com ultra processados. Sucos industrializados, bebidas prontas, queijos petit suisse, bolachas, iogurte saborizado, são alimentos que demandam moderação, no entanto, parecem integrantes naturais na introdução alimentar no Brasil. 

Muitos estudos indicam que existe hábito alimentar não saudável, sendo que 83% das crianças conhecem essa categoria em primeira infância, isso não é apropriado. Para este momento da vida, o bebê começa sua ligação com o alimento, e todo hábito ali iniciado tende a continuar.

Os cuidados dos doces para bebês

Trata-se de delicada fase, do desenvolvimento das preferências pelos alimentos e também queixas de aceitação. Ao ceder para o doce nesta fase, a criança tende a preferir o mesmo depois.

E independente disso, existe a questão propriamente referente à saúde. Os cardápios que se mostram ricos em ultraprocessados e doces, estão ligados com risco de diabetes, enfermidades cardiovasculares em vida adulta e infância, e obesidade.

Prevenir essas enfermidades esbarra em ligação profunda e popular que as pessoas têm com açúcar, pois ouvir alguém falar que tem dó da criança que não pode consumir açúcar é comum, e ninguém vai dizer para nunca dar um brigadeiro à criança.

No entanto, demorar para mostrar esse universo ao pequeno tem seu valor. Estes pais podem ser julgados, porém, podem estar certos de que estão decidindo o melhor para o futuro da criança.

Aqui, uma das vantagens é oferecer tempo para que seja desenvolvido o paladar da criança, com os sabores que se resumem mais naturais. Ao ter sucesso com isso, a probabilidade é que a criança coma um doce ou mais de vez em quando, no entanto, sem ficar obcecada em doces pelo futuro.

Substitutos saudáveis para o açúcar direcionados ao bebê

Chocolate e doces podem ser delícias saborosas para os adultos, mas o bebê realmente não precisa deles. São cheios de calorias vazias, que vão encher o bebê sem oferecer nutrientes que necessita para se desenvolver. Além disso, o açúcar faz mal para os dentes emergindo.

Os alimentos oferecidos ao bebê cedo podem influenciar os alimentos que ele vai gostar conforme cresce. Oferecer alimentos doces agora poderia encorajar esta preferência, dificultando encorajar mais tarde a criança a comer alimentos mais saudáveis.

Se os pais desejam dar doces ou chocolate ao bebê, é importante mantê-los apenas na hora das refeições. Se o bebê tiver outro alimento e bebida ao mesmo tempo, isso pode ajudar a minimizar o dano que o açúcar fará aos dentes dele. O mesmo vale para fruta seca, como passas, que são também ricas em açúcar e podem grudar nos dentes do bebê.

Muitos tipos de frutas são doce saboroso, assim como sendo cheias de nutrientes que fazem delas opção melhor para o bebê. Ao invés de chocolate ou doces, oferecer frutas ao bebê como:

  •       Banana.
  •       Pêssego.
  •       Manga.
  •       Melão.
  •       Kiwi.

Alimentação vegana e vegetariana: é possível para crianças

Mel Cru

O mel cru, que não é filtrado ou aquecido tem propriedades tremendas antifúngicas, antibacterianas e antissépticas. Quando não é aquecido, retém enzimas ativas, aminoácidos, vitaminas, minerais que são vitais para desenvolver uma imunidade forte nas crianças.

 O mel pode ser dado aos bebês apenas após completarem 1 ano. O intestino dos bebês com menos de 1 ano de idade não está suficientemente desenvolvido para combater as bactérias presentes no mel, que poderiam levar ao botulismo, portanto, atenção!

Açúcar de Coco

O açúcar de coco é feito a partir da seiva do coqueiro e uma alternativa de doces para bebês. As flores do coqueiro contêm seiva que é cortada e recolhida em recipientes. É aquecido para evaporar a umidade e depois cristalizado para formar um pó.

O açúcar de coco tem nutrientes vitais e é também baixo em índice glicêmico comparado com açúcar refinado. Dito isso, o coco real é muito mais nutritivo do que comer seu açúcar. Mas sim, é definitivamente uma alternativa melhor quando os pais desejam assar biscoitos, bolos, para o pequeno.

Purê de Maçã

As maçãs podem ser introduzidas para os bebês após os 6 meses e pode ser o momento de dar doces para bebês. É rica em fibra dietética e o primeiro alimento perfeito com um sabor natural doce e nutrientes abundantes para começar.

Para um simples purê, basta descascar, picar, e cozinhar as maçãs e bater no liquificador para preparo. Este purê pode ser então cozido por 10 minutos com um pouco de ghee para fazer um molho espesso que pode ser armazenado por 2 a 3 dias na geladeira.

Maçãs são também conhecidas como bom detox. A pectina na maçã combina com quaisquer metais pesados radioativos ou tóxicos como mercúrio, alumínio no corpo e os elimina através do trato digestivo.

 

Fonte:

https://bebe.abril.com.br/saude/consumo-de-acucar-na-infancia-quando-dar-o-primeiro-doce-ao-bebe/

https://www.babycentre.co.uk/a1052292/the-five-worst-foods-for-babies

https://earlyfoods.com/blogs/baby-food-recipes/10-natural-healthy-alternatives-to-sugar-for-babies