fbpx Skip to main content
Blog

Método BLW e introdução alimentar: qual a relação?

By outubro 7, 2021outubro 17th, 2021No Comments

O corre e corre diário pode privar as famílias de um dos momentos mais prazerosos do dia: a alimentação. Desde pequenos, é importante que os babies adquiram identificação com o momento de comer… é aí que o método BLW entra!

Sabe-se que cada faixa etária carrega consigo alguns desafios. Os hábitos alimentares não ficam de fora, afinal, a alimentação muda ao longo da vida. Os primeiros 6 meses, por exemplo, devem ser, idealmente, compostos por aleitamento materno exclusivo.

E depois disso? Como começar a introduzir outros alimentos na dieta do baby? Diversos estudos já foram realizados para responder esta pergunta. Hoje, vamos entender como o método BLW busca solucionar o problema!

Saiba o que é alimentação complementar

Bem, sabemos que durante o primeiro semestre de vida, o aleitamento materno é suficiente para o baby. Além de contemplar as necessidades nutricionais, ele oferece grande reforço imunológico — o que protege contra infecções.

Vale lembrar, ainda, que os aspectos biológicos não são os únicos envolvidos. Isso porque a amamentação é uma maneira de fortalecer o vínculo entre mãe e filho. Porém, a partir dos 6 meses, algumas coisas começam a mudar.

Nesse ínterim, saindo um pouco do âmbito da alimentação, os pequenos começam a adquirir habilidades importantes. Na parte motora, por exemplo, há maior sustentação da cabeça e do tronco, o que os permite sentar sem apoio.

As mãozinhas também aprimoram os movimentos, seja o de pinça, seja o de segurar objetos. O desenvolvimento oral também acontece e, agora, voltamos para a alimentação.

A partir dos 6 meses é essencial complementar a dieta do baby. Dessa forma, além do leite materno, os pequenos vão passar a consumir alimentos dos mais diversos grupos nutricionais. Assim, alguns nutrientes poderão ser melhor obtidos, como:

  • ferro;
  • zinco;
  • vitamina A.

Essa evolução pode levantar algumas dúvidas para os pais, afinal, o que fazer diante desses avanços?

Entenda o que é o método BLW

Antes de tudo, vamos desvendar a sigla: BLW significa baby-led weaning. Em outras palavras, é o desmame guiado pelo bebê. Mas será que eles, sozinhos, conseguem fazer isso?

Vamos voltar no tempo que a amamentação era exclusiva! Primeiro, o baby sentia fome e a mãe decifrava a necessidade. Após oferecer o peito, toda a regulação da mamada era feita pelo pequeno. Início, velocidade, interrupção… tudo isso no ritmo do baby!

Por outro lado, a mãe não era capaz de acelerar ou atrasar o processo, nem influenciar no ritmo de sucção. Portanto, a tarefa dos pais é apenas decifrar os sinais e oferecer os alimentos. A partir daí, a autonomia é dos pequenos!

Quem idealizou o BLW foi a britânica Gill Rapley. De acordo com sua teoria, os alimentos devem ser oferecidos em pedaços, como tiras ou bastões. Com as habilidades adquiridas com o tempo, os bebês levam tais pedaços à boca utilizando apenas as mãozinhas.

E aí, como colocar isso em prática?

Veja como implementá-lo

Primeiramente, capriche no preparo dos alimentos. Para isso, opte por oferecê-los o máximo possível, in natura. Assim, busque por aqueles que podem ser servidos crus ou cozidos.

Além disso, não esqueça que todos os grupos alimentares devem compor a dieta dos pequenos. Portanto, aposte na variedade de alimentos para compor o cardápio.

Um ponto importante do método BLW é a maneira como o prato será servido. Assim, ofereça os alimentos em pedaços, tiras ou bastões. Ah, não é necessário adaptar a consistência, seja amassando, seja triturando.

Já o baby deve ser muito bem posicionado. Para comer, ele deve estar sentado, de preferência com os demais membros da família. A princípio, o método em questão não inclui o uso de talheres. Então, deixe o baby se lambuzar com as mãos!

Ah, este ponto é fundamental: tenha paciência. Seu filho está entrando em uma fase de muitas descobertas. Então, dê tempo ao tempo para cada refeição e para cada avanço na alimentação.

Não se esqueça de dois pontos importantes: 

  1. Esteja sempre presente enquanto o baby se alimenta.
  2. Não deixe de lado o aleitamento materno e/ou fórmulas.

Descubra quais as vantagens e desvantagens

Se você está se perguntando se o método realmente é bom para o desenvolvimento, saiba que ele empodera tanto os pais como os filhos.

Finalmente, os cuidadores aprendem a respeitar o ritmo das crianças, sem forçar ou restringir a alimentação. Já foi provado que ambas as atitudes podem aumentar o risco de obesidade e síndrome metabólica na vida adulta.

Já os filhos apresentam autonomia na alimentação. Isso contribui para o desenvolvimento físico — das habilidades motoras —  e emocional — alimentado-se com a família.

Uma das grandes preocupações dos pais é sobre o risco de engasgo e asfixia. Dentre os estudos já realizados, não houve diferença significativa de asfixia, do ponto de vista estatístico, entre quem adota o método BLW ou não.

Porém, alguns malefícios foram identificados, como menor aporte nutricional e um possível déficit no crescimento. 

Conheça o BLISS

Diante dos possíveis problemas do método BLW, foi desenvolvido, em um estudo da Nova Zelândia, o BLISS — baby-led introduction to solids.

Em outras palavras, é a introdução aos alimentos sólidos também guiada pelos pequenos. Só que agora algumas mudanças serão feitas. Primeiro, a fim de garantir suporte nutricional, é necessário 1 alimento rico em ferro e 1 alimento rico em calorias.

Além disso, os alimentos devem ser cortados com o intuito de evitar engasgos. Os cuidadores devem experimentar antes de oferecer e, para maior segurança, devem evitar os alimentos redondos.

Embora pareçam simples, tais medidas melhoraram o aporte nutricional e, ainda, reduziram os anseios e preocupações por parte dos pais.

Então, vamos recapitular? O método BLW é uma excelente maneira de validar a autonomia dos bebês em sua alimentação. Além disso, contribui para o desenvolvimento motor e emocional dos pequenos. Claro, os pais podem ficar aflitos com os riscos associados. Por esse motivo, a implementação pode ser ajustada de acordo com o método BLISS.

Por fim, só não esqueça de uma coisa: o aleitamento materno pode continuar, mas não de maneira exclusiva! Última última dica: antes de colocar em prática, converse com um pediatra!

Agora sim, pode compartilhar nosso conteúdo em suas redes sociais e mostrar os benefícios do BLW para outros pais!

Referências

A alimentação complementar e o método BLW (Baby-Led Weaning). Sociedade Brasileira de Pediatria. 

Método Baby Led Weaning (BLW) – evidências sobre a nova proposta de introdução da alimentação complementar para lactentes. Sociedade Mineira de Pediatria.