fbpx Skip to main content
Blog

Roupinhas repelentes: seu baby precisa ter!

By dezembro 28, 2021janeiro 19th, 2022No Comments

Em um país tropical como o Brasil, o clima quente e úmido é bem marcante. Associado a isso, uma série de condições biológicas podem ser observadas diariamente. Nessa perspectiva, as roupinhas repelentes tornam-se peças indispensáveis no vestuário do baby.

Não entendeu a relação? Bem, os mosquitos são importantes vetores de doenças. Portanto, quanto mais mosquitos, maior o risco de contrair determinada infecção. Agora, a bomba: o clima quente e úmido favorece a reprodução deles.

É justamente por isso que os repelentes são essenciais para quem vive num país tropical. Além de proteger contra doenças, protege também contra picadas de mosquitos, as quais podem irritar a pele e provocar reações alérgicas.

Conheça a roupinha repelente da Noeh

Entenda o que são roupinhas repelentes

Não é de hoje que a sociedade busca maneiras de se proteger dos mosquitos. Com o passar dos anos, as tecnologias e estudos se intensificaram para garantir uma ampla proteção e não ser prejudicial ao ser humano.

Dessa forma, práticas naturais e artificiais começaram a ser implementadas no dia a dia. Consequentemente, o vestuário não poderia ficar de fora. Por isso, as roupinhas repelentes se mostram uma excelente opção para as crianças.

Tudo acontece de uma maneira bem prática: algumas partículas, resistentes à lavagem e à temperatura, são adicionadas no tecido. A escolha delas vai depender da proteção que quer oferecer para o baby.

Vale ressaltar que as marcas precisam ter cuidado com o impacto ambiental disso. Afinal, o intuito não é proteger contra situações nocivas? Além disso, é importante que não causem alergias nos babies.

De toda forma, é melhor utilizar roupinhas repelentes do que correr o risco de colocar a substância diretamente sobre a pele. Essa embebição do tecido tem menor risco de hipersensibilidade e aumenta a proteção.

Lembre-se, ainda, que a função do repelente é apenas afastar os mosquitos. Já os inseticidas, por sua vez, além de repelir, também matam o inseto. 

E não é apenas o baby que vai se beneficiar disso. As gestantes, por exemplo, também podem encontrar peças de roupa com essa característica. A grande vantagem é prevenir a infecção do zika vírus, mas isso vamos conversar depois.

Saiba importância desse cuidado

Que as roupinhas repelentes protegem contra insetos você já sabe. Porém, é interessante avaliarmos a dimensão desse cuidado, afinal, um mosquito vai muito além que sua picada.

Vamos começar por aí: uma única picada já pode infectar uma pessoa. Isso porque, ao se alimentar do sangue de alguém infectado, o mosquito pode se tornar um vetor da doença. Logo, existe o risco de inocular o microrganismo na próxima pessoa que picar.

Além disso, vale lembrar que muitas doenças, infelizmente, não apresentam vacina para proteção. Exemplo disso é a malária, transmitida pelo chamado mosquito-prego.

Por outro lado, além da infecção em si, a picada pode causar uma reação de hipersensibilidade na criança. Em outras palavras, é como se fosse uma alergia, manifestada com coceira, irritação, vermelhidão e um pequeno inchaço no local.

Outro ponto importante é que a proteção serve para dentro e fora de casa. Na primeira situação, quantas noites mal dormidas você já teve por causa de mosquitos? Pois bem, nem sempre é fácil mantê-los distantes dos pequenos, mas as roupinhas repelentes seriam grandes aliadas.

Agora, pensando fora de casa, basta imaginar a ida a um parque. Sem dúvidas, os insetos poderiam incomodar de alguma forma e atrapalhar o passeio.

Descubra do que ela protege 

Certo, falamos bastante sobre a transmissão de doenças, mas quais seriam elas? Veja abaixo algumas que separamos, principalmente as que são transmitidas pelo mosquito Aedes — comum no ambiente urbano.

Dengue

A dengue é uma doença viral transmitida pelo Aedes. Basicamente, seu quadro clínico é marcado por uma febre súbita e alta, acompanhada de dor muscular e articular. Não é raro, ainda, observar manchinhas pelo corpo.

O tratamento consiste em medicamentos para alívio de sintomas e evitar, ao máximo, o uso de antiinflamatórios.

Febre amarela

A febre amarela também é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes. Ela é endêmica na América do Sul e, assim como a dengue, se apresenta com febre súbita. Outra característica é que ela tende a fazer o coração bater mais lento que o habitual.

Não é incomum, ainda, o baby apresentar manifestações intestinais, como vômitos ou mesmo constipação. O maior risco é evoluir para um quadro de febre amarela maligna, que cursa com convulsões e outros problemas neurológicos.

Zika

Ainda sobre as doenças transmitidas pelo Aedes, a zika é assintomática em até 80% dos casos. Porém, é muito preocupante quando ocorre em gestantes. Isso porque aumenta o risco de causar microcefalia e outras deficiências no desenvolvimento do baby.

Então, o grande conselho que fica é se proteger contra as picadas. Ah, e para as futuras mamães: tomem bastante cuidado se o parceiro sexual está potencialmente infectado pelo vírus.

Chikungunya

Vamos a uma última doença transmitida pelo Aedes: a chikungunya. Assim como nas doenças acima, ela tende a causar febre. Porém, os problemas articulares são os grandes vilões, já que podem persistir por meses ou anos. A boa notícia é que raramente é uma doença fatal.

Malária

Em conclusão, uma doença causada por outro mosquito: a malária. Ela tem como vetor o inseto do gênero Anopheles, responsável pela transmissão do protozoário. As principais manifestações clínicas são: febre, calafrios, sudorese e anemia com destruição de hemácias.

Diante da seriedade da doença, é essencial combinar fármacos — dentre eles os antimaláricos — para oferecer o melhor suporte para o paciente. 

Veja como a Noeh por te ajudar

Achou que sairia daqui sem a solução para o problema? Claro que não! Vamos te mostrar um produto que garante tranquilidade para toda a família: as roupinhas repelentes da Noeh!

Desde o primeiro dia de vida do baby, é possível mantê-lo protegido contra a picada de insetos. Nossa linha Niño é o verdadeiro terror de mosquitos, carrapatos, pulgas e até formigas. A associação entre tecido natural e permetrina garante o conforto e a segurança.

Ah, não se preocupe! Essa substância é um repelente natural, com alta eficácia comprovada pela Anvisa. Então, segurança e conforto são garantidos por aqui!

Concluímos, enfim, que as roupinhas repelentes são modelitos indispensáveis no guarda-roupa do baby. Tão importante quanto um look confortável, é assegurar a proteção dos pequenos contra aquilo que pode resultar em risco para a saúde. Por isso, não deixe de oferecer o melhor cuidado para seu filho, procurando por empresas que também prezam por segurança e conforto no crescimento do baby.

Agora, que tal conferir nossa linha completa!

Referências

Repelentes de insetos: recomendações para uso em crianças. Revista Brasileira de Pediatria.

Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Instituto Evandro Chagas.

Dengue. Manual Ministério da Saúde.

Febre amarela. Manual Ministério da Saúde.

Infecções pelo vírus da zika (ZIKV). Manual Ministério da Saúde.

Outras infecções por arbovírus. Manual Ministério da Saúde.

Malária. Manual Ministério da Saúde.