fbpx Skip to main content
Blog

Teste do pezinho: entenda a importância!

By agosto 29, 2020agosto 31st, 2020No Comments

Os cuidados com a saúde do recém nascido envolve um aspecto muito importante: a triagem de possíveis doenças. Por isso, um dos exames realizados é o teste do pezinho, que visa justamente detectar possíveis acometimentos no neonato.

No Brasil, os primeiros testes foram realizados na década de 1960 e, com o avançar dos anos, tornaram-se mais abrangentes. A importância deles é tamanha que em 1990 a triagem foi definida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente como obrigatória.

Dessa forma, existem 2 testes: o simples oferecido pelo SUS consegue detectar 6 doenças e o ampliado, que identifica até 50. Seja por meio da iniciativa pública, seja por meio da privada, é essencial que os pais entendam a importância e busquem pelo serviço!

Entenda o que é o teste do pezinho

O teste do pezinho é considerado um teste de triagem para doenças genéticas. A repercussão delas pode gerar consequências prejudiciais para o organismo, como:

  • desequilíbrio hormonal;
  • acometimentos hematológicos;
  • maior predisposição para infecções;
  • impacto no desenvolvimento físico e mental.

Vale ressaltar que, por ser um teste de triagem, ele apresenta elevada sensibilidade. Assim, caso exista alguma alteração, há grande possibilidade de que ela seja detectada. Porém, na sequência, é necessário fazer testes diagnósticos mais específicos. 

Mesmo que não haja histórico de algum caso na família, é essencial que todos os recém-nascidos realizem a triagem. Inclusive, é algo obrigatório por lei, como já dito. Então, não se esqueça de levar seu filho para realizar o teste!

Conheça a importância do exame

A grande importância da triagem neonatal é detectar precocemente as possíveis alterações. A partir daí, a segunda etapa seria encaminhar a criança em tempo hábil para tratamento, se necessário. 

Embora o teste não realiza o diagnóstico em si, ele direciona para cuidados mais especializados aqueles pacientes cujo exame acusou alguma alteração. Muitas vezes esse é o único sinal de alerta, visto que não é possível identificar sintomas ao nascimento.

Mas não se engane: mesmo que, a princípio, os sintomas não sejam evidentes ou detectáveis, é questão de tempo para que a alteração genética resulte em manifestações.

Sendo assim, a detecção e diagnóstico precoce viabilizam a intervenção antes que a doença cause algum dano grave e irreversível para a criança. Nessa perspectiva, a preocupação é mais voltada para o desenvolvimento físico e mental.

Em todo o processo, também é importante contar com o acompanhamento de profissionais especializados. Dessa forma, é possível esclarecer sobre dúvidas frequentes, possibilidade de falso-positivos e melhores condutas.

Saiba como é realizado

Em algumas maternidades, o teste já é realizado antes mesmo da alta hospitalar. Neste contexto, cabe aos pais procurar saber se isso se aplica ao local onde a criança nasceu. Caso não seja, basta procurar as unidades de saúde do município.

No Brasil, é recomendado que a triagem seja feita entre o terceiro e o sétimo dia de vida. Além disso, há também a recomendação de que não seja feito antes das 48 horas de vida, nem ultrapasse 30 dias após o nascimento.

Reforçamos que o prazo para realização é essencial para evitar danos permanentes caso exista alguma alteração ainda não identificada. É interessante que os pais sejam instruídos por um profissional que esclareça o que é o teste e quais os riscos da não realização.

Por fim, o exame em si é feito por meio de uma punção no calcanhar do bebê. No local, é feita a assepsia e, após secagem, é realizado um pequeno furinho. Cada gota de sangue será colocada em um papel-filtro, que será enviado para análise.

Descubra quais doenças são detectadas

Como visto, o teste do pezinho ampliado consegue detectar até 50 doenças. Já o do SUS identifica 6 importantes alterações. A seguir, vamos abordar as principais. Confira!

Hipotireoidismo congênito

Os hormônios produzidos pela glândula tireoide regulam funções importantes, como: digestão, atividade cardíaca, crescimento ósseo, desenvolvimento do sistema nervoso… Enfim, causam efeitos em praticamente todo o organismo!

No hipotireoidismo há deficiência na produção dos hormônios tireoidianos. Assim, todas as funções citadas acima ficam prejudicadas. O teste do pezinho permite identificar as alterações em tempo hábil e logo iniciar o tratamento.

A conduta consiste na reposição dos hormônios. Isso é feito pelo uso de um medicamento, por via oral. Com isso, basta monitorar periodicamente os níveis sanguíneos do hormônio e avaliar como está o desenvolvimento da criança.

Fenilcetonúria

A fenilalanina é um aminoácido essencial para o organismo. Ele é obtido através de alimentos de origem animal, como carnes e, principalmente, leite e derivados. No organismo, precisa ser quebrado por meio da enzima fenilalanina hidroxilase.

Porém, a fenilcetonúria é uma doença que retrata ausência ou deficiência na atividade da enzima citada. Isso faz com que os níveis de fenilalanina fiquem elevados e os prejuízos disso para a criança são distúrbios no desenvolvimento.

As alterações genéticas que provocam a fenilcetonúria são detectadas no teste do pezinho. A partir disso, é possível receber aconselhamento genético e acompanhamento por profissionais especializados, que indicam a melhor dieta e medicamentos para tratar o quadro.

Doença ou traço falciforme

O sangue é composto por diversas células, cada qual com sua função. As hemácias, por exemplo, transportam o oxigênio pelo organismo. Porém, se sua estrutura estiver alterada, essa função fica afetada.

A doença falciforme é uma patologia que altera a forma da hemácia. Por isso, pode gerar uma série de consequências, como:

  • crises de dor;
  • infecções graves;
  • icterícia.

Como essa alteração é hereditária, a criança pode apresentar a doença em si ou apenas o traço falciforme. No segundo caso é possível que não haja manifestações evidentes, mas é importante ser detectado pois poderá ser passado para as próximas gerações.

O teste do pezinho consegue detectar tanto o traço como também a doença falciforme. Quando são identificados, a principal conduta é orientar os pais sobre como prevenir complicações e o que fazer caso haja alguma crise no quadro.

Viu só como o teste do pezinho é importante para a saúde? Identificar precocemente as alterações possibilita o direcionamento mais adequado para cada caso.

Assim, a criança recebe amparo de profissionais especializados e viabiliza o desenvolvimento mais saudável possível. Já para os pais, garante apoio e esclarecimento sobre cada doença, não só com o intuito de prevenir complicações, mas também de saber como agir diante delas.

Gostou do conteúdo? Então, acompanhe nossas redes sociais e saiba mais sobre saúde do bebê! Estamos no Facebook, Instagram e Youtube!

Noeh, tecnologias para cuidar da vida!

Deixe na caixa de comentários suas dúvidas, e conte com a gente!

Um abraço apertado, com carinho da Noeh

 

Referências:

Teste do pezinho. Biblioteca virtual em saúde. 

LEAO, Letícia Lima; AGUIAR, Marcos José Burle de. Triagem neonatal: o que os pediatras deveriam saber. J. Pediatr. (Rio J.),  Porto Alegre ,  v. 84, n. 4, supl. p. S80-S90,  Aug.  2008 .   

Qual a técnica adequada para realizar o teste do pezinho? Biblioteca virtual em saúde – Atenção primária em saúde.