Blog

Vacinação infantil: as 7 vacinas essenciais do 1º semestre

By novembro 17, 2020No Comments

Mamães e papais de plantão: vocês já conferiram se o cartão vacinal do seu baby está em dia? Embora a importância da vacinação infantil seja muito bem estabelecida, os números da cobertura vacinal dos últimos anos têm sido preocupantes.

Em 2019, a meta mínima não foi alcançada em crianças menores de 1 ano. A cobertura ideal deve abranger 90 ou 95% do público alvo, variando de acordo com a vacina. Porém, na febre amarela, por exemplo, o registro de vacinação consta apenas 55,11%!

Diante disso, foram adotadas estratégias como o Movimento Vacina Brasil. O principal intuito é combater as fake news acerca do tema e reforçar a segurança proporcionada pela imunização. Não fique de fora! Confira a seguir quais são vacinas do 1º semestre de vida!

Entenda o que a vacina funciona!

Primeiro, você já parou para pensar sobre como uma vacina é produzida? Diariamente, diversos microrganismos entram em contato com nosso corpo, mas nem sempre causam doenças. Isso porque existe o nosso sistema imune atuando constantemente para nos proteger.

Diante do ataque de um vírus, por exemplo, nossas células de defesa o reconhecem como invasor e desenvolvem medidas de proteção. A vacina é produzida por microrganismos inativados ou enfraquecidos, os quais incitam a produção de anticorpos.

Consequentemente, mesmo que não haja risco de desenvolver a doença, o sistema imunológico cria suas defesas contra aquele patógeno (o “bichinho”” causador da doença). Caso haja uma infecção no futuro, os anticorpos produzidos já estarão prontos para reconhecer e atacar o invasor.

Saiba qual a importância da vacinação infantil

Mas, afinal, como os anticorpos se lembram daquele invasor? O nome deste conceito é memória imunológica, ou seja, as células de defesa se especificam para combater determinado microrganismo e, caso haja infecção posterior, já estão preparadas para responder ao ataque.

Existem casos que a memória imunológica é tão boa a ponto de não deixar a doença acontecer uma segunda vez na mesma pessoa. Quer um exemplo? Com a catapora é assim!

Contudo, nem sempre a memória é tão efetiva e o sistema imune precisa ser lembrado sobre aquele invasor. Isso justifica a necessidade de 2 ou mais doses em determinadas vacinas, bem como os reforços posteriores.

Nas crianças, o sistema imunológico precisa de mais tempo para responder aos agressores. Sem as vacinas, há o maior risco de estabelecimento da doença e de complicações graves. Então, a vacinação infantil é importante para prevenir o adoecimento dos pequenos e manter doenças sob controle na sociedade.

Veja quais as vacinas do 1º trimestre 

Agora que você já sabe a importância das vacinas, confira abaixo aquelas que devem ser administradas no primeiro semestre de vida!

  1. BCG

A vacina BCG foi desenvolvida para prevenir as formas graves de tuberculose, causadas pela bactéria Mycobacterium tuberculosis. A doença clássica apresenta acometimento pulmonar, mas as complicações podem envolver outras partes do corpo.

Na meningite tuberculosa, há o acometimento das membranas que envolvem as estruturas do sistema nervoso. Já na forma miliar, há disseminação da doença pelo corpo. 

Então, não deixe de vacinar seu filho logo após o nascimento. A vacina é dose única e vai provocar uma reação no local de aplicação. Mas não se preocupe! É justamente esta reação associada à formação da cicatriz que indica a efetividade da vacina.

  1. Hepatite B 

A hepatite B é uma doença viral, que atinge principalmente o fígado. Assim como a BCG, a vacina contra hepatite B deve ser aplicada logo após o nascimento. Porém, não é dose única, sendo administrada novamente em conjunto com outras vacinas — veremos mais adiante!

Além disso, ao longo da vida são necessárias doses de reforço, tudo isso para manter a memória imunológica efetiva contra o agressor. Vale ressaltar que a vacina não promove a infecção, apenas contém elementos para produção de defesa.

Mais de 95% das crianças conseguem desenvolver a resposta esperada. Tal resposta é tão eficaz, que mesmo se a mãe apresentar o vírus da hepatite B, não há contraindicação para o aleitamento, considerando a efetividade da vacinação infantil.

  1. Rotavírus 

O rotavírus humano provoca um quadro com grande morbimortalidade para crianças. Basicamente, são as diarreias, ou seja, fezes aquosas frequentemente acompanhadas por vômitos e febre.

A duração é, em média, 2 a 14 dias. Então, pode apresentar desde um quadro leve até os mais graves. Vale ressaltar que é segunda maior causa de morte nos menores de 5 anos. Assim, é essencial prevenir por meio da vacinação infantil.

Neste caso, são necessárias 2 doses. Elas costumam ser feitas aos 2 e 4 meses, com cuidado para não ultrapassar a idade limite de cada uma. Como o vírus é eliminado pelas fezes, tenha cautela com manuseio de fraldas e com a higienização após as trocas.

  1. Pentavalente

A vacina pentavalente previne contra 5 doenças:

  • difteria;
  • tétano;
  • coqueluche;
  • hepatite B;
  • Haemophilus influenzae tipo B.

Ela é administrada aos 2, 4 e 6 meses, com reforço aos 15 meses e 4 anos. Lembra quando falamos sobre o reforço da Hepatite B? É justamente por meio da pentavalente! 

Em suma, ela oferece proteção contra importantes doenças respiratórias, como coqueluche e difteria. Além disso, protege contra o tétano, que causa sérios acometimentos neurológicos.

Por fim, produz defesa contra o Haemophilus influenza, importante causador de meningite e pneumonia na infância.

  1. Poliomelite

Atualmente, estamos há mais de 25 anos com a poliomelite, ou paralisia infantil, eliminada. Este marco importante foi alcançado graças à cobertura vacinal efetiva contra a doença.

A doença ataca o sistema nervoso e destrói estruturas responsáveis pela movimentação das pernas. Além disso, pode acometer os músculos da respiração e até da deglutição, o que tornaria a doença fatal.

Como ainda existem vírus circulantes em algumas partes do mundo, não podemos dizer que a doença foi erradicada, mas estamos caminhando para isso!

Então, a vacinação infantil continua sendo indispensável! Não deixe de levar seu filho para receber a famosa “gotinha” aos 2, 4, 6 e 15 meses. É importante oferecer doses de reforço anuais até os 5 anos de idade.

  1. Pneumocócica 10

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria que pode provocar pneumonia, meningite e até infecção de ouvido. São doenças que apresentam quadro variável, mas que as formas graves são preocupantes.

Por isso, a rede pública de saúde oferece a vacina VPC10, que previne contra 10 subtipos do S. pneumoniae. São administradas 2 doses: aos 2 e 4 meses. Se você preferir aumentar a proteção, é possível encontrar a VPC13 na rede privada. Neste caso, há proteção contra os 13 principais subtipos da bactéria.

  1. Meningocócica C 

Por fim, vamos falar sobre a vacina meningocócica C. Ela previne contra infecção pela bactéria Neisseria meningitidis, também causadora de meningite.

Assim como vimos anteriormente, você pode optar pela vacina da rede pública ou privada. No caso da primeira, é aplicada aos 3 e 5 meses, com reforço no 12º mês. Ela protege apenas contra o tipo C. Já rede privada, é possível encontrar a conjugada quadrivalente (ACWY).

Resuminho…

Ufa, são muitas vacinas, não é mesmo? Você deve estar pensando como pode ser incômodo para o baby, mas tenha certeza que a proteção assegurada pela vacinação infantil é o mais importante a se considerar. Assim, você garante mais saúde para seu filho, afastando dele os perigos de exposição aos agressores tão perigosos que mostramos ao longo do texto. Confira agora mesmo o cartão de vacinação dos pequenos e veja se tem alguma pendência!

Ah, não se esqueça de compartilhar nosso artigo em suas redes sociais! Assim, você vai ajudar outras pessoas a entenderem a importância da vacinação!

Noeh, tecnologias para cuidar da vida!

Espero que tenham gostado! Se tiver dúvida é só perguntar aqui nos comentários que iremos responder!

Um abraço apertado, com carinho da Noeh

 

Referências

  • Coberturas vacinais no Brasil são baixas e heterogêneas, mostram informações do PNI. Sociedade Brasileira de Imunizações. 
  • Apresentação – Vacinas. Sociedade Brasileira de Imunizações.
  • CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO/2020/PNI/MS. Ministério da Saúde. 
  • 01/7 – Dia da Vacina BCG. Ministério da Saúde. 
  • Vacina contra hepatite B. Associação Médica Brasileira. 
  • A rotavirose e a vacina oral de rotavírus humano no cenário Brasileiro: revisão integrativa da literatura. Ciência & Saúde Coletiva. 
  • Ensaio clínico randomizado para avaliação dos eventos adversos da vacina pentavalente em lactentes de Goiânia-Go. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações. 
  • 24/10 – Dia Mundial de Combate à Poliomielite: 25 anos de eliminação! 
  • Vacinas pneumocócicas conjugadas. Sociedade Brasileira de Imunizações. 
  • Vacina meningocócica C conjugada. Sociedade Brasileira de Imunizações.
Falar no whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá, tudo bem?
Sou da Noeh! Pode me chamar quando quiser tá?! Responderei em breve!