fbpx Skip to main content
Blog

O que é o teste do coraçãozinho? Saiba aqui!

By agosto 9, 2021agosto 12th, 2021No Comments

A chegada do baby ao mundo é um momento marcado por emoção e cuidado. Logo após o nascimento, além de mimar bastante os pequenos, é preciso assisti-los em relação à saúde. Uma das medidas mais importantes é realizar o teste do coraçãozinho!

Isso porque de 1 a 2 a cada 1000 recém-nascidos vivos apresentam algum problema cardíaco crítico. Mas não se assuste! As cardiopatias congênitas podem ser diagnosticadas precocemente e o teste do coraçãozinho auxilia nisso.

Aqui, vale ressaltar que é uma técnica muito simples e prática, que não requer equipamentos complexos. E o melhor de tudo: aumenta a taxa de sobrevivência dos recém-chegados ao mundo. Entenda mais sobre o assunto!

 Veja como funciona o coraçãozinho do baby

Primeiro, um fato importante: a circulação fetal é bem diferente da circulação após o nascimento. Tudo isso ocorre a fim de viabilizar a nutrição e oxigenação adequadas para as células.

Pense comigo: enquanto está na barriga da mãe, o feto deve receber toda a energia por meio da gestante. É aí que o cordão umbilical entra! Por meio dos vasos fetais, o sangue materno chega ao coração do baby e é enviado para todo organismo dele.

Neste momento, vamos destacar que os pulmões fetais ainda não estão em atividade. Portanto, não é necessário que haja uma circulação no órgão, conforme acontece após o nascimento.

Então, vemos aqui o ponto-chave da questão: as circulações pulmonar e sistêmica passam por mudanças essenciais nas primeiras horas de vida.

Uma delas é o fechamento do canal arterial. Não vamos aprofundar nas minúcias, mas é importante saber que ele deve se fechar logo após o nascimento. Caso ele não feche, é enviado um sangue pobre em oxigênio para o organismo do baby.

Este é apenas um exemplo de alteração anatômica e fisiológica que ocorre no coração após o parto. Qualquer problema na adaptação pode retratar uma cardiopatia congênita, porém nem tudo apresenta manifestações clínicas rápidas.

Em outras palavras, mesmo que haja uma cardiopatia, os sinais e sintomas podem demorar a ser detectados. Consequentemente, atrasa o diagnóstico e o tratamento da condição, podendo até ser fatal.

Descubra o que é o teste do coraçãozinho

Se nem sempre as manifestações são precoces, seria um risco muito grande para o baby não realizar uma investigação de possíveis problemas. Dessa forma, surgiu um dos testes de triagem mais importantes: o teste do coraçãozinho.

Depois que fazemos a analise das estatísticas, cerca de 10% dos óbitos infantis são decorrentes de uma cardiopatia congênita. Tais condições são representadas por defeitos na estrutura do coração ou de grandes vasos. Com isso, há um impacto direto na função cardíaca.

Se você acha que 10% não é um número expressivo, saiba que a taxa pode subir para 30% de mortalidade caso não haja diagnóstico precoce. Diante de um valor tão expressivo, foi elaborado um método para detecção de anomalias cardíacas congênitas.

Isso não quer dizer que o teste do coraçãozinho vai dar o diagnóstico certeiro de determinada condição. Na verdade, ele indica que algo está errado e, consequentemente, é feita uma análise aprofundada e específica para descobrir a causa.

Em suma, o teste do coraçãozinho viabiliza o diagnóstico em tempo hábil para intervenção efetiva. Além disso, poupa o baby de ter que exacerbar os sintomas para que seja levantada a suspeita clínica.

Entenda como ele é feito

Para entender como o teste do coraçãozinho é feito, vamos relembrar 2 conceitos breves sobre o funcionamento cardíaco.

O primeiro deles é a circulação pulmonar. O sangue pobre em oxigênio é bombeado rumo aos pulmões, onde ocorrem as trocas gasosas. Assim, ele retorna ao coração rico em oxigênio e pronto para ser enviado a fim de  nutrir o organismo.

Já o segundo conceito é a circulação sistêmica. Ela é justamente a continuação do que estávamos explicando: o sangue é bombeado para o corpo a fim de nutrir os tecidos. Feito isso, ele retorna ao coração pobre em oxigênio e os ciclos se repetem.

As alterações anatômicas das cardiopatias congênitas prejudicam o sucesso das circulações acima. Portanto, o teste do coraçãozinho busca detectar se há sangue pobre em oxigênio sendo enviado para o corpo.

Para isso, é colocado um equipamento no dedinho do baby e, de maneira não invasiva, é medida a saturação. Por sua vez, a saturação avalia o nível de oxigenação do sangue.

O ideal é realizar o teste entre 24 e 48 horas de vida, ainda no hospital. O equipamento é colocado em um dedinho da mão e em um dedinho do pé, pois também é importante comparar a saturação entre membros.

Em condições normais, a saturação deve ser maior ou igual a 95% em todas as medidas. Além disso, deve haver uma diferença máxima de 3% entre cada membro.

Qualquer anormalidade indica novo teste em até 1 hora. Assim persistindo, o ecocardiograma é o exame de escolha para maiores esclarecimentos.

 Saiba a importância de realizar o teste do coraçãozinho

Agora que você sabe o que é o teste e como ele é feito, já dá para imaginar a importância, não é mesmo? Primeiro, é uma medida bem simples, nada invasiva e com alta acurácia na triagem de cardiopatias.

Ainda pensando em números, 30% dos recém-nascidos que ganham alta hospitalar sem ter o problema detectado, têm evolução grave. Além disso, vale reforçar que algumas manifestações clínicas podem ser tardias, após a alta hospitalar.

Portanto, devemos entender o valor do teste do coraçãozinho associado com um exame físico detalhado. Assim, diminui a chance de passar despercebida alguma cardiopatia grave que pode levar a óbito precoce.

Para finalizar, se vamos destacar o principal papel do teste do coraçãozinho, devemos indicar a redução na taxa de mortalidade neonatal. O melhor de tudo é que o teste é rápido, simples e barato, ou seja, qualquer local pode realizar seguindo os fluxogramas de manejo.

Vocês, papais e mamães com babies recém-chegados: busquem maiores informações sobre a realização com o pediatra e no local de parto!

Agora, que tal entender melhor sobre o teste do pezinho?

 Referências

Diagnóstico precoce de cardiopatia congênita crítica: oximetria de pulso como ferramenta de triagem neonatal. Departamento de Cardiologia e Neonatologia da SBP. 

NOTA TÉCNICA Nº 7/2018-CGSCAM/DAPES/SAS/MS. Ministério da Saúde.  

TESTE DO CORAÇÃOZINHO (OXIMETRIA DE PULSO) NA TRIAGEM NEONATAL. Ministério da Saúde.