fbpx Skip to main content
Blog

Agosto Dourado: um destaque para o aleitamento materno!

By agosto 23, 2021agosto 25th, 2021No Comments

O aleitamento materno é um tópico muito especial no cuidado com os bebês. Além da nutrição em si, ele tem papel fundamental no fortalecimento do vínculo entre mãe e filho. Diante de tamanha importância, o Agosto Dourado surgiu!

Antes de mais nada, essa data comemorativa foi instituída pela Lei nº 13.435 / 2.017 . O objetivo é promover ações para conscientizar e esclarecer sobre a importância da amamentação. E se você está se perguntando o motivo da cor, é bem simples: o leite materno tem padrão-ouro de qualidade.

E não é para menos! Os componentes dele têm papel nutricional e imunológico para o bebê, além de contribuírem para o desenvolvimento adequado. Continue a ler e saiba mais!

Entenda o que é aleitamento materno

Bem, até então você já sabe um princípio básico: o aleitamento materno vai muito além da nutrição! Ele representa um processo importante para mãe e bebê, que envolve aspectos físicos e emocionais das duas partes.

Por isso, vamos entender melhor aspectos básicos antes de esmiuçar a importância dele!

 

Tipos de aleitamento

Em primeiro lugar, para classificar os tipos de aleitamento, devemos considerar quais alimentos compõem a dieta do bebê. No aleitamento materno exclusivo, o é especificado diretamente do peito ou ordenhado, sem nada além leite.

Já no materno predominante, será oferecido água e outras bebidas para o pequeno, além do leite materno. Quando é complementado, alimentos sólidos ou semissólidos farão parte da dieta, mas não substituirão o aleitamento.

Por fim, na amamentação mista ou parcial, outros tipos de leite oferecidos, como o leite de vaca. Mas será que isso tem alguma repercussão para o bebê?

 

Composição do leite

Já respondendo à pergunta: sim, existe uma repercussão negativa. Para isso, basta pensar que o outros mamíferos podem não contemplar as necessidades humanas, leite de bebês. Além de não contemplar, apresentam componentes de difícil digestão.

Portanto, é o leite materno que contém os nutrientes básicos para o desenvolvimento adequado do bebê. Além dos componentes básicos, apresenta uma série de fatores imunológicos que protegem contra uma proliferação de microrganismos maléficos.

Mas ele não é o mesmo sempre! Na verdade, nos primeiros dias de vida, o nome mais adequado é colostro. Esquisito, não é? Neste caso, ele contém muito mais proteínas do que gorduras. Aproximadamente 10 dias depois, já teremos o leite maduro.

 

Saiba qual a importância da amamentação

No geral, já conversamos um pouco sobre os aspectos importantes da amamentação. Agora, vamos destacar alguns pontos de fabricado!

 

Diminuir mortalidade

Primordialmente é o impacto na mortalidade. Isso porque oferece grande proteção para o sistema imune e combate como infecção com maior efetividade. Se for para colocar em números, evita cerca de 13% de mortes por causas preveníveis nos pequenos de até 5 anos;

É importante ressaltar que a proteção é ainda maior quanto menor a criança. Nos menores de 2 meses que não são amamentados, a mortalidade chega a ser 6 vezes maior. 

Pensando nisso, é essencial estimular a amamentação nas primeiras horas de vida. Isso garantia uma proteção contra mortes neonatais.

Fortalecer o sistema imune

O fato de diminuir a mortalidade já nos dá uma dica sobre a associação do aleitamento com a imunidade: ele fortalece a proteção! Neste caso, uma barreira contra microrganismos ganha um reforço importante com os presentes no leite.

Consequentemente, a associação não só o risco da infecção em si, mas também minimiza a gravidade em caso de adoecimento. Uma criança não amamentada, por exemplo, apresenta um risco 3x maior de desidratar e morrer em um quadro de diarreia .

Por último, o contato com o leite da vaca gera um maior risco de desenvolver alergia. 

 

Proteger a longo prazo

Os impactos da amamentação não são observados apenas a curto prazo! Primeiramente, vale destacar que o de uma mesma espécie tem tudo que é necessário e garantir uma boa nutrição.

Por isso, já reduz o risco de obesidade, visto que os componentes garantem saciedade e desenvolvimento adequado. Além disso, foi comprovado que a amamentação tem impacto positivo na pressão arterial.

Por fim, o aleitamento protegido também contra diabetes – não só o baby, a mamãe também!

 

Melhorar o vínculo mãe-baby

A importância nos aspectos biológicos você já sabe, mas e no emocional? Sim, a amamentação também contribui para isso! 

Quando o momento é prazeroso, com contato de olhos nos olhos, o fortalecimento do vínculo é certo! É nessa hora que o bebê se sente seguro, com a proteção materna e adquire, aos poucos, a autoconfiança.

Um momento simples, de contato contínuo, mas de suma importância para o psicológico das partes envolvidas.

 

Veja algumas dicas para amamentar

A importância da amamentação você já sabe. Agora, confira algumas dicas para melhorar o processo!

Esteja preparada

 Assim como o pré-natal contempla os aspectos da gestação, ele também precisa englobar alguns poucos neonatais. Um deles é a amamentação! Então, ainda no último trimestre é importante consultar um pediatra a fim de entender melhor o processo.

Essa é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria , com o intuito de esclarecer para os pais sobre o aleitamento materno. Dúvidas frequentes podem ser elucidadas, como posição para amamentar, duração das mamadas e frequência delas.

 

Saiba quando amamentar

No geral, é recomendado, no mínimo, 6 meses de aleitamento materno exclusivo e em livre demanda. Isso quer dizer que no primeiro semestre a amamentação é suficiente para nutrir o bebê.

Não deve haver nenhum tipo de restrição de horário ou de duração das mamadas. No geral, o bebê costuma mamar de 8 a 12 vezes no dia, mas não é regra!

O importante é oferecer o seio quando houver demanda. Não se esqueça de esvaziar completamente a mama, sobretudo porque o final da mamada pertinente maior saciedade. E lembre-se: não existe leite fraco!

 

Cuidado com o que vai oferecer

Como havíamos dito, o aleitamento materno exclusivo é suficiente para nutrir o bebê nos primeiros 6 meses. Então, evite água, chá e outros tipos de leite! Os pais que oferecem outros alimentos acabam favorecendo o desmame precoce.

Ah, evite também o uso de mamadeira e chupetas! Elas podem representar uma fonte de contaminação, além de dificultarem a pega no seio materno.

 

Tenha paciência e zelo

Imagine só passar de um ambiente protegido para um local com ruídos de altos, texturas, cheiros e gostos … não é fácil a adaptação à vida fora do útero! Por isso, tenha paciência.

A princípio, o baby pode chorar mais e ter dificuldade para se acalmar. Então, ofereça muito amor, carinho e aconchego. Tudo isso contribui para o sentimento de segurança e proteção, além de favorecer a amamentação.

Por fim, concluímos que o aleitamento materno é um processo essencial para o desenvolvimento do bebê. Além de nutrir, proteger e fortalecer vínculo, podemos dizer que é uma prática capaz de salvar vidas.

Portanto, qualquer problema durante a amamentação deve ser comunicado ao pediatra. Aos poucos, a mãe e o bebê estão em sintonia completa e o momento se tornará ainda mais especial!

Que tal participar do Agosto Dourado? Compartilhe nosso texto em suas redes sociais e ajude a conscientizar a população sobre o aleitamento materno!

 

Referências

Mês do Aleitamento Materno no Brasil e Semana Mundial da Amamentação. Biblioteca Virtual em Saúde. 

SAÚDE DA CRIANÇA – Aleitamento Materno e Alimentação Complementar. Ministério da Saúde.

Dúvidas comuns sobre a amamentação. Sociedade Brasileira de Pediatria.