fbpx Skip to main content
Blog

Cardápio infantil: veja quais alimentos evitar!

By setembro 13, 2021setembro 14th, 2021No Comments

O que vem à mente quando o assunto é alimentação do baby? Se a primeira coisa que você pensou foi aleitamento materno, parabéns! Sem dúvidas é o recurso principal. Mas e depois? Quais alimentos devem compor o cardápio infantil?

Primeiramente, não é qualquer coisa, afinal, comida é coisa séria! Não é à toa que o acesso à alimentação é um dos direitos humanos básicos. Seja na qualidade, seja na quantidade, é importante que a criança se alimente de maneira constante e regular.

Afinal, tudo isso vai contribuir para o desenvolvimento dos pequenos. E não se esqueça: o crescimento adequado é crucial na faixa etária infantil. Venha saber mais!

Entenda a importância da alimentação saudável

Enfim, você é o que você come… quem nunca ouviu esse ditado? Pode parecer exagerado, mas ele faz muito sentido! Isso porque nosso organismo demanda por determinados nutrientes que obtemos por meio da alimentação.

Pensando nos babies, é ideal iniciar com o aleitamento materno e, em seguida, começar a introduzir à alimentação familiar — tudo no devido tempo! Se você oferecer além do necessário, a criança pode apresentar excesso de peso.

Por outro lado, se oferecer quantidades insuficientes, corre o risco de desnutrição. Ambos os extremos são maléficos para os pequenos, seja por restringir crescimento, seja pelo risco de doenças crônicas.

Portanto, o cardápio infantil deve ser composto por alimentos que viabilizem o desenvolvimento seguro, sobretudo nos 2 primeiros anos de vida. Por isso, é essencial escolher bem os componentes da dieta, além de caprichar no modo de preparo.

Ah, não se esqueça de convidar a criança para este momento de decisões! Só assim ela vai adquirir consciência alimentar, acerca de uma vida saudável e com maior autonomia para a alimentação. 

Viu só como a família deve atuar? É responsabilidade de todos elaborar um cardápio adequado e ser uma boa influência para os pequenos.

Saiba quais alimentos evitar

Conforme você já sabe que a alimentação é essencial para o desenvolvimento. Mas será que é só essa a importância?

Na verdade, existe um outro ponto de destaque: nos 2 primeiros anos de vida as crianças estão formando os hábitos alimentares. Imagine só o impacto disso! Portanto, desde cedo o cardápio infantil deve ser recheado de alimentos saudáveis.

E a família tem papel decisivo nisso! Afinal, o adulto é o grande responsável pela aquisição de produtos. Quer um exemplo? Primeiro, evitar guloseimas é o básico. Em seguida, a criança pode ser convidada para escolher suas frutas prediletas.

Mas, afinal, o que evitar?

Alimentos processados

Em primeiro lugar, para entender o que são alimentos processados, vamos fazer uma comparação… molho de tomate caseiro ou extrato de tomate concentrado, qual o mais saudável?

Acertou quem disse molho caseiro. Isso porque, embora seja feito de tomates, o molho concentrado exige um preparo industrial. 

Então, os alimentos processados são obtidos a partir de alimentos naturais, porém passam por algumas modificações. Tais alterações incluem aromatizantes, conservantes, corantes, dentre outros.

Em conclusão, prefira alimentos naturais do que os processados! Evite frutas com caldas cristalizadas, queijos de modo geral, conservas de legumes, etc.

Alimentos ultraprocessados no cardápio infantil

Como o nome já diz, os ultraprocessados passam por um preparo industrial intenso, com várias técnicas e etapas. São adicionados muitos ingredientes e aditivos, como corantes, gorduras, aromatizantes, dentre outros.

Dessa forma, enquanto os alimentos processados podem ser oferecidos em pequenas quantidades, os ultraprocessados não devem fazer parte da dieta. E isso não vale só para os pequenos! Até mesmo os adultos devem evitá-los.

Definitivamente, os malefícios de uma alimentação rica em ultraprocessados são vistos a longo prazo. A obesidade é uma das consequências, acompanhadas de problemas cardíacos, diabetes e cáries.

Em suma, evite oferecer à criança os seguintes alimentos: 

  • refrigerantes;
  • sucos artificiais;
  • biscoitos;
  • chips;
  • macarrão instantâneo.

Papinhas industrializadas

Por fim, vamos falar das queridinhas de muitas famílias: as papinhas industrializadas! Embora sejam muito práticas, os pais não devem oferecê-las aos babies. 

Para justificar isso, devemos pensar no processo de alimentação. A textura delas dificulta o desenvolvimento da mastigação. Além disso, como são preparadas com muitos componentes misturados, dificultam a percepção de sabor.

Claro, existe também o problema do preparo. Afinal, não são utilizados alimentos na forma natural. E para finalizar, as papinhas industrializadas ainda desfavorecem que as crianças se acostumem com o tempero e o cardápio da família.

Veja o que deve compor o cardápio infantil

Agora que você sabe o que evitar, vamos te ajudar a montar o cardápio infantil. Ah, o primeiro passo é: convide a criança para escolher os ingredientes e auxiliar no preparo dos pratos!

Leite materno

Vamos começar pelo leite materno, o primeiro alimento que a mãe deve oferecer ao baby. Portanto, para as mães que puderem, durante o primeiro semestre de vida, a amamentação deve ser exclusiva e em livre demanda, visto que é um alimento ideal para suprir as necessidades daquele momento.

É ele quem vai nutrir, saciar e proteger os pequenos contra infecções. Complementando, ele também vai contribuir para que a criança aperfeiçoe habilidades, como motoras, visuais e interativas.

Além disso, previne uma série de doenças a longo prazo, desde que seja oferecido nos primeiros 2 anos de vida. E não se esqueça: a partir do 2º semestre de vida, a alimentação deve ser complementada com outros alimentos

Alimentos in natura ou minimamente processados o cardápio infantil

Acima de tudo, os famosos alimentos in natura não sofrem nenhum tipo de alteração após serem obtidos de fontes naturais. Já os minimamente processados vão sofrer pequenas modificações. Ambos devem compor o cardápio infantil!

Portanto, por serem ricos em nutrientes, vão promover saúde e tornar a alimentação mais saudável.  Use e abuse de:

  • leguminosas;
  • verduras;
  • cereais;
  • frutas;
  • carnes;
  • ovos;
  • raízes; 
  • tubérculos.

 

Papinhas caseiras para o cardápio infantil

Por último, vamos dar algumas dicas para você mesmo preparar a papinha do baby! Antes de tudo, lembre-se que é importante manter a textura e o sabor natural dos alimentos. 

Então, não adicione sal na papinha: o tempero será o próprio sabor dos alimentos. Se você tem dúvida de quais alimentos escolher, opte por aqueles in natura. É preciso que as crianças se acostumem com os sabores e desenvolvam a mastigação.

Sendo assim, busque alterar a consistência da papinha ao longo dos meses. Assim, cada vez mais as crianças vão aperfeiçoar o processo mastigatório.

Enfim, esperamos que você tenha entendido os princípios do cardápio infantil. O primeiro ponto é reconhecer o papel de importância que a família tem na construção dos hábitos alimentares dos pequenos.

Depois disso, é saber fazer escolhas saudáveis e englobar a criança no processo. Mas, não se esqueça de valorizar os alimentos da região, ressaltar a cultura local e introduzir os filhos no seu ambiente social.

Agora, veja como a alimentação vegetariana pode ser adotada pelos pequenos!

Referências

Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Ministério da Saúde.

Papinha pronta VERSUS Papinha caseira. Sociedade Paulista de Pediatra.